Biografia

Luíza Mendes Furia nasceu em 21 de novembro de 1961, em Caçapava (SP), filha de Sergio Antonio Belfort Furia e de Sylvia Mendes Furia. Escreve desde menina. Aos 16 anos publicou o primeiro livro – Madrugada e Outros Poemas  – numa edição particular e teve um conto infantil publicado na Folhinha de S.Paulo. Em 1980, mudou-se para São Paulo, onde se formou em jornalismo.

Na área literária, participou de várias antologias, como Poetas Caçapavenses (1976); Nova Poesia (Vertente, 1983); VIII Antologia Poética de São José dos Campos (1993); X Antologia Poética Hélio Pinto Ferreira (1995), da Secretaria de Cultura de São José dos Campos. Em 1990, ficou em 2º lugar no Concurso Nacional de Literatura Cidade de Belo Horizonte. Em 2003, recebeu menção honrosa pelo livro Incisões no Branco – ainda inédito – no 2º Prêmio de Literatura Cidade de Juiz de Fora.

Tem poemas publicados em sites literários e blogs, como o Alguma Poesia, As Escolhas Afectivas, a série As Mulheres Poetas na Literatura Brasileira e a revista on-line Germina, e nos suplementos Cultura de O Estado de S. Paulo e Cultura e Arte do jornal Comércio do Porto, de Portugal. Em 1998, participou da criação da Órion – Revista de Poesia do Mundo de Língua Portuguesa e, em janeiro de 1999, lançou o volume de poemas Inventário da Solidão (Ed. Giordano).

Em 2007, fez uma edição artesanal de apenas 30 exemplares de Vênus em Escorpião – Poemas Eróticos. Em 2013, lançou seu primeiro livro para crianças, O Travesseiro Mágico (Giostri).

Em 2014, ficou em 3º lugar no 9º Prêmio Off Flip de Literatura, categoria poesia, e entre os 15 finalistas na categoria infantojuvenil com narrativa ainda inédita.

Em 2015, classificou-se entre os ganhadores do 3º Prêmio SFX [São Francisco Xavier] de Literatura.

No início de 2016, tomou parte da antologia Patuscada (editora Patuá) e em dezembro  lançou Vênus em Escorpião pela mesma editora. Em novembro, criou a revista on-line prazerdeler.net.

Um comentário sobre seu trabalho consta do Dicionário Crítico de Escritoras Brasileiras, de Nelly Novaes Coelho (Escrituras, 2002).

É também tradutora de francês, italiano, inglês e espanhol e jornalista, com trabalhos publicados nos jornais Mulherio, Leia Livros, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, nas revistas Destino, Crescer, Pesquisa (Fapesp) e nos cadernos EU&Cultura e EU& Fim de Semana do jornal Valor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s