5 Poemas de Inventário da Solidão

CANÇÃO

Canto o que vem comigo desde antes
e são modulações do mesmo grito

Como os grilos que ora tracejam a noite
com seu canto simplesmente folha transformado em vida.

Hoje, que hei de dizer-te?
Que esteve claro o dia e turva a vista

Que nada retive de seu esplendor
já outonal, senão um ritmo

Este que faz as mãos acariciar as palavras
como se fossem de vidro.

INFÂNCIA-3

Porque tudo na vida é passado
rebusco-te nas fotos da infância
o vestidinho pregueado
alguma trança
que se desfez ao vento
cariciando teus cabelos finos

Porque agora é também ontem
habitando esparsas latitudes
em contração e espasmo o pensamento
delineia a sempre mesma busca

Ainda hoje um raio claro
povoou teu rosto, fragmentou-se em sombras
efêmeros detalhes
e em teus olhos se firmou
como um sorriso ágil
a serenar-se em fugaz arquitetura

Revisito tua imagem cotidianamente
e assim o meu amor se expande
em tessituras de vôo e altura
Porque o passado
é um presente que perdura.

SCHERZO

Num dia leve assim
é o pássaro que em mim baila
seu allegro, scherzando
celebrando a infinitude azul

Mas quando tudo se adensa
é a fera lenta que rasteja
as notas solitárias de um violoncelo
fremindo as guelras do silêncio.

POEMA-1

Esculpir conchas
tão delicadas
e diversas
é um segredo do mar
e dos moluscos.

Fazer versos
como quem esculpe conchas
um desafio interminável
ininterrupto.

MATEMÁTICA PURA

Aos Furias

1
uma gaivota sobre o mar
é um polígono branco e dourado
sem medidas

como o meu desejo de voar

2

aquela árvore solitária
no topo da negra montanha

é um círculo com verdes ranhuras
que atravessa o céu

e enche tuas pupilas de sombras azuis

3

não me interessam as medidas
das nuvens nem das chuvas

o diâmetro da poça d’água
é uma questão ridícula

diante desta sede

4

o espelho côncavo
bebe o teu olhar

o espelho convexo
dilata o teu esgar

no espelho mínimo de ti
as perguntas se emaranham
com as células
numa forma estelar

que logaritmo expressa a tua angústia?

5

quantos catetos tem um catavento?
qual é a velocidade do vento nos catetos?

quantos coretos tem a tua infância?
que tipo de vento agitou as bandeirolas?

há alguma hipotenusa no salto do teu peito?

6

a teia prende os olhos
qual mosquito
em seus círculos

ângulos que se esgarçam
a aranha é um ponto deslocado

que representa o x da questão

7

a luz desta manhã
é incalculável

voraz o tempo
vai devorando seus dígitos

a noite engole os números
e fabrica mais uma equação do finito

8

alguém já tentou calcular
a raiz quadrada das rosas?

e se eu elevasse a voz dos pássaros ao cubo?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s